Felicidadezinha

Meus olhinhos ainda estão brilhando. Por um motivo meio bobo, mas ainda está *-*

Faz um bom tempo que acompanho religiosamente o blog de uma moça, a Melina Souza do A Series Of Serendipity. Uma das coisas que mais chamam minha atenção são as fotos lindas que sempre aparecem por lá. Existe uma categoria onde cada mês ela escolhe um tema e os leitores mandam suas fotos, ela escolhe as mais legais e posta lá. É o “click do leitor”. O tema desse mês foi bichinhos de pelúcia. Com taaantas fotos da Pinga, achei que tinha uma chance, e…a Pinga estava lá, selecionada no meio de outras fotos tãããão lindas que, aimeudeusdocéuqueemoção! *-* Tá, o cenário de Londres ajudou bastante, mas ainda assim, isso me deu um ânimo à mais pra tentar dominar um pouco essa coisa de fotografia :)

Segue o link do post: 

É isso, só compartilhando uma felicidadezinha gratuita :)

Anúncios

Sobre curiosidade musical

Hoje vamos falar de coisa boa. Vamos falar da nova (nova?) Tekpix /not

Tenho uma coisa que costumo chamar de “curiosidade musical”, ou apenas compulsão por músicas diferentes ou, na pior das hipóteses, síndrome underground, entenda como quiser. E essa coisinha está muito aguçada ultimamente, e rendeu ótimas descobertas. Aqui vão algumas delas:

A mais recente, Edward Sharpe and The Magnetic Zeros que, assim como o nome grande, tem também uma grande quantidade de integrantes. Ainda não tive tempo de desbravar outras músicas deles, mas já tenho os dois cd’s me esperando e algo me diz que vai me agradar muito. São meio hippies (viajam os EUA em um ônibus branco e azul *-*), hipsters e fazem a mistura boa de arranjos que eu gosto. Essa música em especial, eu ouvi por uma hora no “repete” durante uma viagem. Ela simplesmente dá vontade de viajar (?) e, é…ir pra casa.  Ah sim, e o vocalista é namorado da Jade (a moça da voz maravilhosa nessa música) e vê-los cantando ao vivo é também a coisa mais fofa do Universo. Ôva:

Essa daqui nem é tão recente assim, mas ainda escuto bastante, é uma banda chamada The Honey Trees. A moça tem uma voz de passarinho (não é a Birdy! /piadainfame) muito fofis, e o único clip deles (To Be With You) é de uma fotografia linda e me dá várias idéias de decoração pro meu quarto, mas a música que deixo aqui é uma outra, que gosto mais. Não está em uma versão muito boa, mas só de ver a fofura da moça já compensa (qualquer coisa baixe o cd e ouça em qualidade supimpa, oxe!)

A próxima banda é The Weepies. Conheci por causa de uma animaçãozinha. Triste e linda ao mesmo tempo:

Porém as outras músicas são mais animadoras, daquelas grudentinhas que te dão vontade de sair dançando bobamente em um dia de sol (ou mesmo em dias cinzas, pourquoi pas?)

Ainda estou na fase de avaliação da banda também (leia-se: escutar os três cd’s), mas também aposto minhas fichas que esse é mais um “amor sonoro” que veio pra ficar.

Tem também o Ben Howard, que sempre se apresenta com uma moça (India Bourne) que, não sei bem porque, atrai totalmente a minha atenção. Ela só faz segunda voz e toca, mas a voz dela é tão “de passarinho” que poderia ouvi-la por horas. Também gosto da voz do Ben, ela tem algo de “desafinado, seiláoque” que juntando com a voz de passarinho da India Bourne dá uma combinação linda. Aliás, não sei porque não aparece o nome dela também nas músicas, já que pelo que vi eles sempre se apresentam juntos e ela sempre canta.

(tocando que nem o August Rush)

A próxima dica é sobre duas garotas (uma alemã e outra suíça) que formam uma dupla chamada Boy. O primeiro single delas foi Little numbers e tem uma pegada bem “comercial” digamos, mas ainda assim é tãããão alegrinha a música que coloquei até pra ser um dos (no momento, preciso de 3 ou mais) meus despertadores. Ela tem cara de “manhã” pra mim. É o tipo de música que me imagino ouvindo de manhã, pegando um ônibus lotado indo pra faculdade. Tem o mesmo efeito que Kate Nash em mim, outra que gosto de escutar nas manhãs pra dar uma animadinha. Porém essa animação fica por aí mesmo. As outras músicas têm uma cara diferente, mas nem por isso menos apaixonante.

Dá até vontade de dirigir quando escuto Drive, mas de preferência em uma estrada deserta sem a possibilidade d’eu atropelar alguém. O clip também me lembra Into the wild.

E para finalizar essa “pequena” lista, uma música de um carinha que conheci no show do DSLZ em Paris ♥. Aparentemente a letra é engraçadinha (digo “aparentemente” porque o infeliz fala rápido demais pra que eu consiga entender 70% da letra). Parece-me um “brega francês engraçado”. Escuto ela pra rir e lembrar do show *-*

Tem essa também do Oldelaf, bem normalzinha

E por falar em normalidade ♥

Acho que música boa é que nem livro, a gente indica para as pessoas para divulgar e ter com quem comentar depois (claro!) então, para o caso de algum desavisado “tombar” por aqui, deixo registrado as minhas recentes “descobertas” musicais :)